09/04/2017

Ó ABRE ALAS



Abre alas
Do mundo, da Terra,
Do céu e das estrelas.
O meteoro vem correndo.
Abram as portas da poesia.
Deixe livre o lápis.
Mais papel, por favor. 
Apague a borracha.
Por um momento, liberte. 
Todos os pensamentos abstratos, 
concretos e idealizados.
Esqueça gramática.
Peque por excesso.
Nocauteie o limite.
Abra alas,
nem o céu é nosso limite.
Chame a criatividade.
O sentimento.
Estrelas.
Qualquer coisa.
Ó abre alas.
Tá chegando.
Como vai,
licença poética?
- Livre. 


Me encontre por aí:

Nenhum comentário:

Postar um comentário